Notícias Gerais

15 de maio de 2017

Educação forma multiplicadores para a conservação da natureza

Por Comunicação

Formação de professores, ações com crianças e adolescentes e orientação a proprietários de áreas naturais estão entre as atividades de educação desenvolvidas nos mais de 30 anos de projetos da SPVS

pauta-educacao-galeria-001

O Programa de Educação Ambiental voltada para a Conservação da Natureza, desenvolvido desde a fundação da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS, busca reconectar a sociedade ao meio natural, oportunizando a mudança de comportamento, conceitos e valores com relação ao tema. Nos 33 anos do programa mais de 3.500 professores de Curitiba, Região Metropolitana e outras cidades foram capacitados, beneficiando mais de 140 mil alunos da rede municipal de ensino.

O que nós fazemos é formar multiplicadores, principalmente professores. Através de estudos, palestras, oficinas e pesquisas de percepção ambiental, levamos até as escolas conceitos relacionados à conservação da natureza” explica Solange Latenek, coordenadora do Programa de Educação Ambiental da SPVS.

As atividades do programa, além da formação de professores, englobam ações com crianças e adolescentes, orientação a proprietários de áreas naturais e comunidades locais, desenvolvimento de atividades culturais e criação e distribuição de materiais didáticos. Enquanto a educação ambiental, por vezes, é reduzida ao incentivo de boas práticas ambientais, como jogar lixo em locais adequados e economizar água, a educação voltada a conservação tem a função de desenvolver uma relação de pertencimento ao meio natural e estimular uma atuação ativa com relação à conservação do patrimônio natural.

Essa formação é importante pela conscientização e instrumentalização dos nossos professores para que eles venham a fazer um trabalho dentro de educação ambiental mais consistente e com mais argumento, compreendendo melhor o ambiente e os fenômenos da natureza” explica Silvia Mara Santos, coordenadora pedagógica de ciências naturas do município de Piraquara.

As principais atividades do programa, na atualidade, têm sido desenvolvidas na área de ocorrência do bioma Mata Atlântica, atingindo, sobretudo, os municípios de Curitiba, Campo Largo, Piraquara, São José dos Pinhais e Guaraqueçaba, no estado do Paraná. Este é viabilizado por meio de parcerias com prefeituras e órgãos públicos e apoio de instituições privadas e não governamentais.

Entre os frutos deste trabalho está o desenvolvimento de bioboletinzinhos da Turma do Pinho e da Turma do Litoral. Esse material é uma importante ferramenta de trabalho para que os professores sensibilizem seus alunos, aproximando-os dos conceitos da conservação da natureza. Este material foi elaborado após um estudo de percepção com crianças, no qual se percebeu que os alunos não conheciam ou tinham pouco conhecimento de espécies nativas do ecossistema em que vivem. Em sua quarta edição, mais de 90 mil bioletinzinhos já foram distribuídos em escolas da rede municipal de educação.

O projeto de educação também desempenha um importante papel social devido a seu método interdisciplinar, sua capacidade de trabalho com múltiplas linguagens e, sobretudo, por sua capacidade de incentivar práticas de cidadania mais conscientes.

Para tratar de conservação da natureza é preciso transitar pela complexidade das diversas dimensões da sociedade e interligá-las, sendo algumas: política, histórica, cultural, social, econômica e espiritual, pois trata da relação do ser humano com o meio natural. A conservação da natureza influencia diretamente a sobrevivência e qualidade de vida, pela disponibilidades dos serviços ambientais,  pela manutenção de identidades culturais e possibilita a  resiliência dos diversos ecossistemas do mundo que são tão ameaçados por modelos econômicos que levam os recursos naturais à exaustão” comenta Liz Buck, coordenadora de projetos da SPVS.

Outros importantes frutos colhidos com o programa envolvem registros de ações comunitárias de combate à caça e ao desmatamento, criação de novas unidades de conservação e aumento do número de visitação às já instituídas, além do aumento do conhecimento da população sobre os ecossistemas locais.

A proposta é mostrar que a natureza é tão importante quanto as coisas vitais que temos em nossas vidas. A continuidade, seja da qualidade de vida, ou a busca de vida melhor depende dos serviços que a natureza presta” cometa Clóvis Borges, diretor executivo da SPVS. “A forma de olhar a exploração da natureza precisa mudar”.

Conheça mais sobre este fundamental trabalho para a conservação da natureza através do vídeo do projeto:

educacao-video

Fotos: Arquivo SPVS

Saiba mais: