Notícias Gerais

3 de julho de 2013

Empreendedores da Conservação reconhecem importância do apoio oferecido pelo Programa E-CONS

Por Comunicação

O programa E-CONS (Empreendedores da Conservação) é uma ação diferenciada de apoio a projetos de conservação da natureza. O Programa aposta em pessoas com perfil empreendedor e que desenvolvem ações relevantes para a biodiversidade em todos os biomas brasileiros.

Iniciado em 2012, com apoios a seis diferentes projetos no país, o Programa tem contribuído para o desenvolvimento de ações estratégicas à expansão das iniciativas já desenvolvidas pelos chamados empreendedores, E-CONS.

Entre os biomas apoiados hoje estão Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Amazônia e Pantanal.

Dia na Floresta criancas na trilha II

Saiba quem são os responsáveis pelos projetos e conheça as características de cada um:

Mata Atlântica – No cuidado com as áreas naturais, Terezinha Vareschi e Bianca Luiza Reinert se tornaram referência. Terezinha é responsável por uma área de mais de 30 mil m² de Mata Atlântica dentro de Curitiba. Percebendo a pressão imobiliária que atingia as áreas verdes próximas, ela assumiu o desafio não apenas de transformar sua propriedade em modelo de conservação em ambiente urbano, mas foi além e desenvolveu formas de incentivar outros proprietários a seguirem o mesmo exemplo. “Para isso, o programa E-CONS foi determinante”. Bianca, que contribui com a conservação da APA (Área de Proteção Ambiental) de Guaratuba e da população do bicudinho-do-brejo, sempre acreditou que para salvar a espécie era preciso fazer mais do que apenas pesquisar, mas também usar os resultados acadêmicos em ferramentas para conservar. Em 2008, junto com um grupo de amigos adquiriu uma pequena área para garantir a conservação do local e da espécie. Esse foi só o primeiro passo e agora Bianca pretende expandir essa área, com a aquisição de mais hectares de floresta. “Com o apoio do projeto, as chances de isso acontecer certamente se multiplicaram consideravelmente”, diz ela.

CerradoPara Jean Pierre, que estabelece um modelo inovador de coexistência entre a principal espécie bandeira do Cerrado, o lobo guará, e os proprietários de área que vivem no entorno do Parque Nacional da Serra da Canastra determina “as boas ideias somadas aos esforços conservacionistas apoiados pelo E-CONS, estão sendo determinantes para a conservação do meio ambiente e do animal ”.

Caantinga – Weber Girão há 16 anos está envolvido com a conservação do soldadinho-do-araripe, única ave endêmica no Ceará e listada entre as 100 espécies mais ameaçadas do mundo. Desde 2012, recebe o apoio do programa E-CONS e diz que a contribuição chegou no momento ideal, permitindo consolidar melhor o trabalho que já desenvolvia. “Tem sido bastante positivo. Como a sobrevivência desta ave depende da conservação da Chapada do Araripe, a manutenção da paisagem local e da espécie casou perfeitamente com a proposta do programa”. O soldadinho-do-araripe só se reproduz em áreas de nascente e preservá-lo é também garantir a manutenção e a qualidade da água para os moradores daquela região.

Amazônia – O E-CONS Silvio Marchini mantém a iniciativa Escola da Amazônia, que busca despertar a consciência conservacionista de jovens que vivem em uma das áreas com maior pressão de desmatamento do mundo, a fronteira agrícola na Amazônia. “Com o apoio do Programa E-CONS, estamos conseguindo identificar e capacitar indivíduos comunicativos para que eles mesmos gerem e disseminem, dentro de suas comunidades, mensagens de conservação”, diz ele.

Pantanal – No Mato Grosso do Sul, Gláucia Seixas atua contra o tráfico de animais, tendo como bandeira iniciativas de conservação do papagaio verdadeiro e do ambiente em que ele vive. Para ela, a maior intenção de seu projeto é disseminar a ideia da importância de conservar o bioma e lutar contra essa atividade ilegal. “Esta espécie, o papagaio-verdadeiro é a mais traficada na natureza. Se não cuidarmos, ela vai entrar na lista de ameaçados”, explica.