Notícias Gerais

9 de abril de 2015

Itaipu recebe Certificação LIFE

Por Assessoria de imprensa/SPVS

Empresa passa a ter reconhecimento de suas ações em prol da conservação da biodiversidade; é a terceira empresa a obter Certificação, que tem a SPVS com uma das fundadoras

Após o escritório de advocacia Gaia, Silva & Gaede e a indústria gráfica Posigraf, ambos de Curitiba, a Certificação LIFE foi concedida agora à Itaipu Binacional, com sede em Foz do Iguaçu e com um amplo conjunto de ações favoráveis à conservação da biodiversidade.

“É uma satisfação enorme ter uma empresa do porte da Itaipu entre as primeiras empresas a ter a Certificação LIFE”, afirma Clóvis Borges, diretor executivo da SPVS.
A instituição foi uma das fundadoras da Certificação LIFE, em 2009, com o intuito de estimular empresas a investir em conservação da biodiversidade. “Todos dependemos dos serviços ambientais providos pela natureza. Para as atividades econômicas, não é diferente. Energia, água, matéria-prima e novas tecnologias disponibilizados pelos ecossistemas são fundamentais para os negócios. Por isso, é importante ter uma certificação para qualificar sistemas de gestão ambiental que considerem a importância da biodiversidade ”, atesta Clóvis.

Itaipu

Reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) por desenvolver a melhor política de gestão de recursos hídricos no planeta, a Itaipu Binacional recebeu a Certificação LIFE na terça-feira, 7 de abril, em sua sede brasileira em Foz do Iguaçu.

A certificação reconhece a eficácia do sistema de gestão ambiental da organização, e avalia os impactos ambientais e a agenda voluntária de conservação da biodiversidade em conformidade com o porte de cada empresa.
“Trata-se da busca conceitual pelo impacto zero ao se analisar inúmeras variáveis, combinada com a compensação voluntária de impactos não evitáveis cientificamente estimados” afirma o presidente do Conselho Diretor do Instituto LIFE, Miguel Milano.

Entre as principais ações de Itaipu na área ambiental, avaliadas na certificação LIFE, destacam-se a conservação de cerca de 105 mil hectares de florestas; a implantação do programa Cultivando Água Boa (que, desde 2003 já promoveu a recuperação de passivos ambientais em 206 microbacias hidrográficas da região Oeste do Paraná); a criação do Canal da Piracema (que permite a migração de peixes no Rio Paraná); a implantação do Corredor da Biodiversidade Santa Maria (conectando o Parque Nacional do Iguaçu à faixa de proteção do reservatório, ao sul, e ao Parque Nacional da Ilha Grande, ao norte); além de projetos de reprodução de espécies da fauna típicas da Mata Atlântica e que se encontram ameaçadas, como a harpia.

Foto (capa): Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional​