Notícias Gerais

3 de julho de 2013

Programa E-CONS tem flexibilidade para apoiar estratégias empresariais de sustentabilidade

Por Comunicação

Logo E-CONS

Para empresas, iniciativa da SPVS favorece inserção de temas como conservação da biodiversidade, mitigação das mudanças e serviços ambientais na gestão das companhias

A preocupação com o meio ambiente e a qualidade da gestão ambiental das empresas tem crescido cada vez mais. Seja por uma percepção ligada à reputação da companhia, seja por uma questão de manutenção de seus negócios. Ao lado da preocupação com uso racional dos recursos, gestão de resíduos e novas tecnologias, temas como conservação da biodiversidade, mitigação das mudanças climáticas e serviços ambientais estão hoje presentes nos relatórios de sustentabilidade e nas estratégias das empresas líderes – e batendo à porta de qualquer outra companhia conectada com os desafios de, ao procurar o lucro, perceber as oportunidades de envolvimento com causas de interesses coletivos.

A proteção do patrimônio natural – a diversidade biológica, os ecossistemas e seus processos ecológicos – exerce papel central nesse cenário e o apoio ao Programa E-CONS pode representar a ligação das empresas com esses assuntos.

A metodologia criada pela SPVS para ganho de escala de projetos exemplares em todos os biomas brasileiros pode significar para companhias a oportunidade de apoiar a proteção de áreas naturais que provê aos negócios insumos essenciais. Para citar alguns exemplos, o envolvimento com projetos de proteção de espécies ameaças pode garantir a permanência de habitats e resultar na manutenção de recursos hídricos, os quais são essenciais para praticamente toda atividade empresarial. Ou, ainda, a pesquisa científica para mensurar a qualidade de ecossistemas pode indicar medidas para manter a saúde de ecossistemas que tem funções que beneficiam as atividades agrícolas – sejam elas de pequena ou grande escala –, por meio da polinização, da ciclagem de nutrientes no solo, barreiras contra ventos, controle de pragas, entre vários outros mecanismos das naturezas que são os chamados serviços ambientais.

No campo institucional, além da prática de seu papel social, o apoio ao Programa E-CONS traz ganhos que vão do relacionamento com stakeholders,  da geração de conteúdo para publicação de relatórios de sustentabilidade, até a possiblidade de demonstrar correspondência com programas governamentais direcionados aos temas da sustentabilidade, conservação da biodiversidade e combate às mudanças climáticas. Isso ocorre porque os projetos apoiados pelo Programa E-CONS geram resultados de proteção de áreas naturais e de espécies ameaçadas, de apoio a gestão de unidades de conservação (áreas oficialmente protegidas como os parques nacionais e as reservas biológicas), de mecanismos de pagamento de serviços ambientais e de manutenção de estoque de carbono na biomassa vegetal. São resultados que, quando alcançados, acabam ajudando o governo brasileiro a fazer seu dever de casa para a consecução de objetivos de convenções internacionais. E também são resultados que as empresas podem “chamar de seu”, em razão do investimento que fazem para apoiar esses projetos no campo.