SPVS na Mídia

6 de abril de 2018

Reportagem transmitida no jornal Paraná TV reforça a necessidade de matas ciliares preservadas e apresenta o legado em conservação do arquiteto Oswaldo Navarro

Por Comunicação

Em entrevista ao Paraná TV (RPC-TV), Betina Bruel explica a importância de manter áreas conservadas no entorno de nascentes e rio, a exemplo do legado preservado no Bosque do Coruja

[confira a reportagem do jornal Paraná TV na íntegra]

Recente estudo organizado pelo Projeto Observando Rios, da SOS Mata Atlântica, alerta para a crítica situação das bacias hídricas nacionais. Por meio de coletas d’água, a pesquisa classificava o estado de conservação dos rios em boa condição, ruim ou péssima. No Paraná, onze rios de Curitiba e Região Metropolitana foram analisados e o resultado é que apenas um deles foi considerado em boas condições.

O jornal Paraná TV, transmitido pela afiliada da Rede Globo no estado, produziu uma reportagem veiculada em 04 de abril [assista aqui], para apresentar este alarmante resultado e a história de projetos e proprietários de áreas naturais que conseguem manter nascentes e córregos d’água bem preservados na Grande Cidade.

A técnica em conservação da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS, Betina Bruel, explica que embora “a poluição urbana seja um problema muito complexo, a presença da vegetação natural e da vegetação ciliar nas margens de rios ajuda a diminuir bastante este problema”.

Exemplo de que a conservação de áreas naturais é possível mesmo em meios urbanos, é o Bosque do Coruja, localizado no bairro Pilarzinho, a menos de 3km do Centro Cívico. A área do proprietário Oswaldo Navarro guarda nascentes, lagos e pequenas quedas d’água. “A minha encosta, a minha mata, é a minha caixa d’água” conta Navarro. “O segredo está ali, é a preservação” completa. “O cuidado com a natureza é o legado de Oswaldo para o planeta” complementa Dulcinéia Novaes, repórter da RPC-TV.