O ConBio – Condomínio da Biodiversidade, foi apresentado à sociedade no ano 2000 como uma iniciativa de ambientalistas e organizações do terceiro setor para tratar da conservação da biodiversidade em ambientes urbanos e periurbanos na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Atualmente o ConBio é realizado pela SPVS e atua em conjunto com o poder público, outras organizações não governamentais, educadores e proprietários de áreas naturais.

O ConBio busca implantar uma rede de áreas naturais, públicas e particulares, em bom estado de conservação e preferencialmente conectadas, mantidas por pessoas engajadas em práticas que garantam a conservação dos recursos naturais e da biodiversidade, promovendo a qualidade de vida e o bem estar de todos.

No entanto, em tempos de mudanças climáticas globais, grandes cidades necessitam garantir a resiliência frente aos fenômenos climáticos extremos e às mudanças econômicas e sociais associadas, e isso requer uma união de esforços e uma gestão regional integrada. Os municípios da RMC devem priorizar e investir na proteção e restauração das áreas naturais remanescentes para não direcionar o seu futuro para as mesmas contingências negativas que outras regiões metropolitanas têm assumido, com inevitável perda de qualidade de vida e riscos de limitações sociais e econômicas crescentes. A conservação da natureza é uma das mais importantes estratégias de enfrentamento às mudanças climáticas, além de essencial para a saúde e qualidade de vida das pessoas, especialmente as que vivem em cidades.

Campo Largo

Campo Largo.

RPPNM Bosque da Coruja

RPPNM Bosque da Coruja.

Linhas de ação

  • Extensionismo conservacionista: visitar e orientar os proprietários de áreas naturais sobre práticas de manejo para conservação da biodiversidade;
  • Apoio à criação de unidades de conservação: apoiar a criação e manutenção de uma rede de áreas protegidas, particulares e públicas, na Região Metropolitana de Curitiba; Apoiar a identificação de áreas prioritárias para a conservação e propor ações para sua proteção;
  • Políticas públicas: participar da elaboração de políticas públicas para a conservação em ambientes urbanos e periurbanos; Buscar e fortalecer mecanismos de apoio à proteção de áreas naturais em todas as instâncias governamentais;
  • Educação para a conservação da natureza: Formar e instrumentalizar professores do ensino público em educação para a conservação da natureza; Orientar e sensibiliar a sociedade sobre conservação da biodiversidade por meio de ações educativas.
Amanhecer em la cidade de Curitiba

Amanhecer em la cidade de Curitiba. Foto Zig Koch

Paisagens Curitiba

Paisagens Curitiba.

Resultados

Ao longo dos anos, o ConBio visitou mais de 1.500 propriedades públicas e particulares com vegetação nativa orientando os proprietários sobre o manejo conservacionista e apoiando a criação de Unidades de Conservação. Em Curitiba foram 18 RPPNM – Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal e nove Unidades de Conservação municipais apoiadas. Além disso, apoiou a criação da APAVE – Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e Região Metropolitana e o seu fortalecimento enquanto entidade representante dos proprietários de RPPNM e áreas naturais.

Em suas atividades voltadas à educação e mobilização social, o Programa já capacitou mais de 3.400 professores da rede pública de ensino, produziu dezenas de materiais informativos, distribuídos gratuitamente, e ofereceu cursos livres para proprietários e estudantes. O Programa já participou da elaboração de políticas públicas e marcos legais na RMC, principalmente sobre Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) e RPPN; e da revisão de Planos Diretores.

O ConBio foi apresentado na Conferência das Partes (COP), órgão supremo da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), em 2015 e Paris – COP22; e em 2017 em Bonn – COP23, como um projeto modelo de conservação em ambientes urbanos como estratégia de enfretamento às mudanças climáticas. O Programa também recebeu em 2016 o Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza na categoria “melhor exemplo de flora”; e o 2º lugar no Prêmio von Martius de Sustentabilidade.

Parque Lago Azul - Umbará

Parque Lago Azul – Umbará.

RPPNM Bosque da Coruja

RPPNM Bosque da Coruja.

Parceria com a Prefeitura Municipal de Curitiba

A parceria entre a SPVS e a Prefeitura Municipal de Curitiba já completou 10 anos e gerou muitos resultados importantes e inovadores, por meio do ConBio. A nova etapa do Projeto, viabilizada no final de 2018 com recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente via chamamento público, se estenderá até 2020 e atuará em cinco frentes principais: aplicação do Índice de Biodiversidade para Cidades (CBI) também conhecido por Índice de Singapura; quantificação do incremento de carbono em áreas naturais do município; capacitação de servidores públicos em conservação da natureza; elaboração do Plano de Manejo do Refúgio de Vida Silvestre do Bugio; e estruturação de um Sistema Metropolitano para Conservação da Biodiversidade, que conta com o apoio do Pró-Metrópole.

Apoiadores desse projeto: