O que é o Conexão Araucária?

Projeto de restauração ecológica que auxilia produtores de pequenas propriedades rurais em Áreas de Preservação Permanente (APP) de Floresta com Araucária no Sudeste paranaense a atender ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) e a estar em conformidade com o Código Florestal.

Propriedade participante. Foto: Marina Cioato

Interação entre técnica do projeto e proprietário participante. Foto: Marina Cioato

Para quem se destina?

Pequenos proprietários rurais, associações de produtores, empresas da agropecuária, indústrias, organizações governamentais e não governamentais.

Benefícios para os parceiros

As técnicas de restauração utilizadas pelo Projeto ajudam a recompor Áreas de Preservação Permanente (APP) e Unidades de Conservação. Dessa forma, remanescentes naturais, matas ciliares, topos de morro, nascentes, bacias hidrográficas e outros elementos das áreas naturais voltam a fazer parte de um ecossistema mais equilibrado que, ao longo dos anos, terá de volta sua vegetação nativa. A recuperação da biodiversidade regional proporcionada pelo Projeto resulta em maior produtividade aos cultivos dos proprietários. A orientação, as capacitações e o envolvimento deles em todo o processo, como protagonistas, os empodera e fortalece o relacionamento com a empresa parceira. Além de auxiliar na regularização das propriedades, as ações adicionais de conservação da biodiversidade agregam valor aos produtos e serviços ofertados pelo parceiro. Os parceiros desse projeto ajudam a garantir mais estoque de futuro.

Trabalho de remoção de exóticas

Viveiro de mudas nativas. Foto: Marina Cioato

Participe Agora

Entre em contato para fazer uma avaliação e tirar dúvidas sobre como iniciar uma parceria com o projeto.

Conheça quem já está produzindo futuro com o Conexão Araucária

O Conexão Araucária conta com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da empresa Japan Tobacco International (JTI), que é também o principal parceiro no desenvolvimento das atividades. Produtores dos municípios de Piraí do Sul, Palmeira, São João do Triunfo, São Mateus do Sul, Paulo Frontin, Mallet, Rio Azul e Rebouças, no Sudeste do Paraná, já participaram ou estão participando do Projeto.

Entre as etapas estão o mapeamento de propriedades rurais; mobilização de proprietários; visitas técnicas para fazer o plano de restauração; restauração ecológica; manutenção dos plantios e das cercas, que é feita pelo proprietário; e monitoramento. Além do importante trabalho com os proprietários, o Projeto inclui atividades de restauração ecológica na Floresta Nacional de Piraí do Sul.

Também são apoiadores do Projeto o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Água e Terra (IAT) – antigo Instituto Ambiental do Paraná – IAP- e a Sociedade Chauá, parceira na instalação de um Pomar de Sementes de árvores nativas, raras e ameaçadas de extinção.

Em parceria com a Prefeitura de Rio Azul (PR), o Conexão também tem realizado restauração ecológica no Parque Ambiental Salto da Pedreira, com retirada de espécies invasoras e aumento da cobertura de vegetação nativa do parque.

Financiadores:

Apoiadores:

A importância deste projeto

Ao recuperar remanescentes da Floresta com Araucária, cuidar da mata ciliar, das nascentes e dos rios nas APPs, o Projeto, as empresas e proprietários envolvidos cumprem um papel de extrema importância para a conservação de áreas naturais que, em grande parte das vezes, sofrem pressão por produtividade a todo custo. Por meio do trabalho de restauração nas APPs, são formados pequenos corredores que aumentam a conexão entre os remanescentes de Floresta com Araucária.

Todo esse processo deixa um legado de recuperação da cobertura vegetal nativa, proteção dos recursos hídricos e manutenção da qualidade do solo, ao mesmo tempo em que ajuda a recuperar a diversidade de espécies, incluindo as raras e ameaçadas de extinção. Isso é positivo para o meio ambiente e para as próximas gerações, mas também para a produtividade dos cultivos locais.

Potencializar a ação dos polinizadores, manter a biodiversidade de nativas, proteger e melhorar a fertilidade do solo, controlar biologicamente as pragas, melhorar a qualidade da água e garantir a presença dela, auxiliar na regulação climática e muitos outros benefícios da recuperação ecológica são pontos que também aumentam o potencial produtivo agrícola. Isso mostra que a relação entre conservação da biodiversidade e a produção agrícola é de ganha-ganha. 

Como benefícios sociais, há a geração de empregos diretos nos municípios atendidos, por meio da capacitação e contratação de mão de obra local, e a criação de oportunidades para que estudantes de universidades da região atendida participem e saibam mais sobre conservação da natureza.

Flona de Piraí do Sul

Mobilização de proprietários rurais.