Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa

O Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa é desenvolvido desde 1998, no litoral norte do Paraná, e a partir de 2013, no litoral sul de São Paulo. O objetivo é contribuir com a conservação da espécie, em consonância com o Plano de Ação Nacional de Conservação dos Papagaios, e de seu habitat natural – o maior remanescente contínuo do bioma Mata Atlântica.

Gráfico Desmatamento Evitado

Endêmico da Floresta Atlântica – entre o litoral sul de São Paulo e o litoral norte de Santa Catarina, abrangendo toda a costa do Paraná, área inserida na Grande Reserva Mata Atlântica – o papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis) sofre pressão, devido à destruição e fragmentação do seu habitat e à captura ilegal de filhotes.  O Projeto de Conservação da espécie integra os componentes de pesquisa biológica, monitoramento populacional e reprodutivo, manejo e educação para a conservação da natureza, além de apoio e integração institucional entre órgãos fiscalizadores, instituições não governamentais e de educação.

Monitoramento de ninhos em sítios reprodutivos

Filhote de papagaio-de-cara-roxa durante monitoramento reprodutivo. Foto: Evandro PereiraFilhote de papagaio-de-cara-roxa durante o monitoramento reprodutivo da espécie. Foto: Evandro Pereira

Desde 1998, o Projeto realiza o monitoramento de ninhos em sítios reprodutivos localizados na área de ocorrência do papagaio-de-cara-roxa. A partir de 2003, além dos ninhos naturais monitorados, foram instalados ninhos artificiais de madeira e PVC em substituição aos naturais que eram caía, naturalmente por vento e chuvas.  Os 126 ninhos já instalados (em SP e no PR) pela SPVS também são reparados a cada ano, visando a manutenção e condições de uso.

O monitoramento reprodutivo também aumenta significantemente a segurança dos ninhos, o que é fundamental no combate à retirada de filhotes da natureza para o comércio ilegal e tráfico da espécie. Durante toda a estação reprodutiva, que ocorre durante os meses de outubro à março, entre a postura dos ovos e o voo dos últimos filhotes, a equipe acompanha o desenvolvimento dos filhotes, registrando suas medidas, anilhando e examinando se estão saudáveis, além de realizar expedições semanais em busca de novos ninhos.

No período reprodutivo de 2018/2019 foram registrados 57 nascimentos, dos quais 24 filhotes atingiram sucesso reprodutivo, número que indica quantos filhotes conseguiram alçar voo e deixar o ninho.

Censos populacionais anuais

pagina_papagaio_galeria002_ZigKochEquipe durante o censo 2018. Foto: Zig Koch

O censo do papagaio-de-cara-roxa tem sua importância por ser o principal indicador da manutenção da população na natureza, bem como dos resultados do Projeto. Os dados do monitoramento subsidiaram a avaliação do status de conservação da espécie, classificada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) como “vulnerável a extinção”, até 2014, quando a lista de espécies ameaçadas de extinção foi revisada e mudou para o status “quase ameaçada”, o que indica a eficiência das ações para sua proteção nas últimas décadas.

A atividade do censo traz outros importantes resultados como o conhecimento sobre a dinâmica dos papagaios em cada um dos dormitórios da espécie; a aproximação dos moradores locais em ações de pesquisa e conservação; a integração de pesquisadores; a capacitação de estudantes e a divulgação de temas relacionados à conservação da natureza.

O censo populacional do Papagaio-de-cara-roxa, realizado em 2018, registrou uma população de 9.112 aves. A população paranaense representa 80% do total, registrando 7.336 papagaios. No litoral paulista vivem 1.746 aves. A última edição da contagem mobilizou mais de 50 voluntários, entre estudantes, moradores locais e outras pessoas sensibilizadas com a causa, que se unem aos técnicos da SPVS durante o censo.

Educação para conservação

pagina_papagaio_galeria015_FernandoCaixetaAtividade de arte-educação. Foto: Fernando Caixeta

Desde o início do Projeto são realizadas ações de conservação formando professores e atuando em escolas das comunidades locais. Para auxiliar as iniciativas educacionais do Projeto, são desenvolvidos materiais didáticos sobre a espécie e sua área de ocorrência. Especialmente em 2018, foram realizadas ações educativas com jovens do litoral do Paraná por meio de atividades lúdicas, palestras e visita aos ninhos para conhecer e acompanhar o monitoramento dos filhotes.

A iniciativa também visa a valorização das unidades de conservação e a proteção dos remanescentes de vegetação nativa. Para isto, participa ativamente de reuniões de Conselhos de Unidades de Conservação, firma parcerias e apoia órgãos fiscalizadores, instituições governamentais e não governamentais. Todas as ações são avaliadas na reunião anual do Plano de Ação Nacional (PAN) dos Papagaios.

Apoiadores desse Projeto

  • Loro Parque Fundación